Reforma protestante: 500 anos

Desafios para a igreja contemporânea

Encontro da Fé Reformada Sul - Porto Alegre, RS 
10 e 11 de Novembro de 2017

Quem somos

Quem somos?

O Encontro da Fé Reformada Sul é um evento organizado por um grupo de irmãos de diferentes igrejas cristãs evangélicas de Porto Alegre, RS. O EFR-Sul não é um evento denominacional.  O denominador comum entre todos nós é que cremos no que se denomina como teologia reformada.

Qual é o objetivo do evento? 

O Encontro da Fé Reformada Sul tem por objetivo alcançar aos líderes e membros das diversas igrejas cristãs bíblicas da região Sul do Brasil por meio da formação, ensinamento e capacitação destes nos sólidos fundamentos da fé cristã histórica. Através disso espera-se que estes líderes e membros possam ajudar suas igrejas na formação de novas gerações firmes e embasadas em uma teologia verdadeira, coerente e clara, a qual tenha como primeiro propósito a glória de Deus e como primeiro efeito a transformação de vidas e a salvação das almas.

Por que Fé Reformada?

Assumimos este nome "Reformada" de forma proposicional porque nos ajuda a explicar algo de nossas raízes histórica e teológica. Nós mantemos um corpo de confissões teológicas comumente chamadas de Fé Reformada - aquelas verdades da Palavra de Deus que foram afirmadas pela igreja primitiva e reavivadas pela Reforma Protestante. Verdades bíblicas tais como Sola Fide (justificação somente pela fé), Sola Gratia (salvação somente pela graça de Deus), Solus Christus (Cristo somente, o Salvador dos pecadores), Sola Scriptura (a Bíblia, e somente ela, como base de fé e prática) e Soli Deo Gloria (a Deus somente, toda glória na salvação dos pecadores), entre os grandes pilares da Fé Reformada. 

Talvez mais conhecida por sua doutrina da salvação, a Fé Reformada ensina (assim como ensinam as Escrituras) que antes do mundo ter sido criado, Deus o Pai, soberanamente, escolheu certos pecadores para a salvação de acordo com o Seu beneplácito (Ef 1.3-5). A Seu próprio tempo, Deus o Filho veio e morreu pelos pecados dos escolhidos (Jo 10.14-18). Na conversão, Deus o Espírito Santo, trabalhando em harmonia com o decreto do Pai e a morte do Filho, aplica a obra de redenção ao eleito (Tt 3.5). Quando dizemos que somos Reformados, estamos afirmando que abraçamos como bíblico, o sistema de teologia comumente chamado de doutrinas da graça - aquelas doutrinas que afirmam a depravação total do homem, a natureza incondicional da eleição, o propósito particular ou limitado da redenção, o chamamento irresistível e eficaz, e a perseverança e preservação dos santos. Muitos dos grandes nomes da história da igreja estão associados a estas doutrinas. Enfatizamos, entretanto, que mantemos estas verdades, não simplesmente porque Agostinho, Calvino, Edwards, Spurgeon e outros grandes nomes da história da igreja também as abraçaram, mas porque assim Jesus como os apóstolos claramente as ensinaram.

A Fé Reformada, porém, abrange muito mais que a bíblica doutrina da salvação. Seus ensinos enfatizam ainda, o que concerne a outras verdades de grande importância como, por exemplo, a maneira em que nós, como crentes, devemos viver neste mundo e, ainda, como a igreja deve levar adiante a pregação do Evangelho, como conduzir nosso culto de adoração a Deus, e também como nossas igrejas devem ser governadas. Deste entendimento teológico emanaram grandes confissões, credos e catecismos Reformados. Entre os mais proeminentes estão os Cânones do Sínodo de Dort, a Confissão de Fé e o Catecismo de Westminster e a Confissão de Fé e o Catecismo de Heidelberg. [...]

Também usamos este termo "Reformada" pelo motivo de estarmos buscando reformar-nos a nós mesmos e às nossas igrejas de acordo com os ensinamentos da Palavra de Deus, a Bíblia. Em nossos dias com frequência ouvimos chamados de muitos púlpitos para uma reforma da igreja. Porém, tais chamados, em muitos casos, visam ao esforço de mover a igreja para ainda mais distante de suas raízes bíblicas e históricas, na direção do que é moderno, contemporâneo e inovador: uma teologia centrada no homem e seus interesses físicos e seculares. Existem, sem dúvida, muitas reformas em progresso, mas não conformadas aos padrões bíblicos, e onde o poder de Deus, Sua majestade e glória são omitidos, se não totalmente relegados ao esquecimento. Ao nos declararmos “Reformados”, estamos fazendo de nosso alvo e ambição nos posicionarmos cada vez mais em alinhamento com as Escrituras. Neste sentido, o termo “Reformado” não tem conotação estática. Desejamos fazer o caminho de volta às Escrituras, examinando-nos constantemente. E não o fazemos simplesmente porque os Puritanos do passado o fizeram, ou porque outros Reformados contemporâneos o fazem. Nós almejamos fazer tudo o que vemos revelado em nossas Bíblias como sendo a vontade de Cristo para Sua igreja.

Fonte: adaptado da seguinte página comunhaobatista.blogspot.com.br/2011/06/quem-somos.html